Featured Video

Description

Simplificando...


O implante Second Chance é um dispositivo que deteta precocemente um enfarte do miocárdio. 

Contacta a assistência médica em caso de emergência, libertando ainda um anticoagulante.

Esta ideia salvará muitas vidas, melhorando a monitorização e prognóstico em indivíduos de risco.


Motivação

Mundialmente, cerca de 17,9 milhões de pessoas morrem por ano devido a Doenças Cardiovasculares, sendo esta principal causa de morte no mundo, verificando-se o mesmo em Portugal. 

O enfarte agudo do miocárdio, também conhecido como ataque cardíaco, é responsável por 85% das Doenças Cardiovasculares, e caracteriza-se por surgir repentinamente, sem um aviso prévio, o que dificulta o acesso à ajuda médica necessária. Mas, e se conseguíssemos prever a ocorrência de um enfarte?



Ideia

A nossa ideia consiste na criação de um biossensor implantado subcutaneamente na zona paraexternal esquerda, associado a uma aplicação digital, que consegue detetar a ocorrência de um enfarte, atuando muito mais rápido do que as atuais opções do mercado. Isto será possível uma vez que o dispositivo medirá precocemente quatro parâmetros normalmente analisados assim que o doente chega ao hospital: eletrocardiograma, a saturação de O2, a troponina T e a creatinina quinase (CK-MB). Na presença de valores anormais, o utilizador do dispositivo será avisado através da app, de forma a evitar fazer atividades perigosas como conduzir.  


Se os valores estiverem acima do nível de alerta, de acordo com o algoritmo programado, dá-se a libertação da enoxaparina, um anticoagulante que dissolverá o coágulo formado. Assim estaremos a ganhar tempo, diminuindo a ocorrência de danos irreversíveis e evitando esperar até o utente chegar a uma unidade de saúde. Através da aplicação será contactado o INEM, que via GPS conseguirá obter a localização do utilizador do dispositivo, permitindo uma resposta mais rápida e eficaz, em caso de emergência.  


O biossensor irá permitir registar os valores continuamente ao longo do tempo e guardá-los na aplicação de telemóvel associada que fará o processamento estatístico dos dados registados, permitindo ao paciente aceder aos dados clínicos sempre que desejar. Estes dados estarão também a ser partilhados com a equipa de profissionais especializados que acompanham o utente, de forma a estes poderem monitorizar, à distância, o seu estado clínico. Iremos assegurar mecanismos de confidencialidade, integridade e disponibilidade de informação nas bases de dados.


Assim, com o nosso biossensor e a aplicação associada, estaríamos a oferecer a estas pessoas o que mais precisam, tempo. Já pensou nas vidas que estaríamos a salvar?   

 

Qual é o público-alvo?

Este dispositivo é aconselhado para todas as pessoas que já tiverem um primeiro enfarte, assim como as pessoas com os fatores de risco associados (idade, excesso de peso, tabagismo, diabetes, hipertensão).


O que já existe no mercado:

Atualmente, existem produtos com um propósito semelhante. No entanto, ainda que outros dispositivos já tenham sido desenvolvidos para prever a ocorrência do enfarte do miocárdio, estes baseiam-se maioritariamente na monitorização do eletrocardiograma ou exclusivamente na medição de um biomarcador. 

Assim, o implante Second Chance é inovador pelo seu mecanismo de atuação nomeadamente a injeção intravenosa de enoxaparina que permite parar o possível enfarte, prevenindo danos no músculo cardíaco.


Design e funcionalidades da aplicação móvel

Adicionalmente, por requisito legal, iremos assegurar o regime geral da proteção de dados, nomeadamente atendendo que são dados pessoais sensíveis (dados biométricos). Desta forma, comprometemo-nos a assegurar os mecanismos de confidencialidade, integridade e disponibilidade de informação nas bases de dados.

Com esta ideia inovadora poderíamos dar às pessoas aquilo que mais precisam: tempo! Já pensou nas vidas que estaríamos a salvar?