Featured Video

Description

Link alternativo do vídeo: https://drive.google.com/file/d/1ooNSnYsQraD03kiZ-csV1zid1iaClz4m/view?usp=sharing


O problema


As urgências hospitalares são, foram e sempre serão um serviço fulcral para toda a sociedade. 

No entanto, atualmente, ir às urgências é sinónimo de sobrelotação, desorganização, filas de espera intermináveis: caos. 


Sem qualquer capacidade de previsão, tanto do médico como do paciente, os hospitais limitam-se a sobreviver aos variados pedidos de ajuda de uma população que perdeu a confiança no serviço de urgências. Especialmente em tempos em que a rutura dos serviços de saúde é uma constante, torna-se cada vez mais necessário uma solução capaz de revolucionar as urgências hospitalares.


A motivação


Face à realidade que encontramos hoje num serviço tão importante para todos nós, decidimos criar a Ucheck para tornar as urgências hospitalares um serviço rápido, organizado e em que todos possamos confiar. Assim, vamos em busca de deixar a nossa marca para uma saúde mais digital e mais eficiente.


A solução


A Ucheck surge de modo a dar resposta a este problema, constituindo uma solução acessível e prática. 

Após o utilizador decidir que vai às urgências, abre a app da Ucheck de modo a realizar uma triagem. Tal traduz-se numa interface com os sintomas mais comuns (febre, tosse, dor de cabeça, tonturas, …) seguida de uma sequência de escolhas múltiplas, e terminando apenas quando o software tiver evidências suficientes para apontar uma especialidade médica (cardiologia, dermatologia, medicina geral, etc). Importante realçar que toda a árvore de questões será construída em conjunto com profissionais da área, sofrendo também ajustes constantes com o contributo de Inteligência Artificial. Para além disso, o utente terá a capacidade de anexar fotografias à triagem, se conveniente. 

De seguida, após apresentada a especialidade adequada, são apresentados os tempos de espera e a disponibilidade de profissionais nos hospitais mais próximos e é gerado um QR Code com os dados da triagem, para ser utilizado na admissão do hospital. Estima-se que todo o processo demore apenas alguns minutos, transformando assim um serviço desorganizado e sobrelotado em passos simples e rápidos.

Escolhida a unidade de saúde, as informações do utente são enviadas para a mesma, que poderá assim, contar com a sua vinda dentro de momentos.

Chegado ao Hospital, o utente faz scan do QR code, tendo imediatamente a informação para se dirigir à consulta/sala de espera da especialidade indicada. Desta forma, as salas podem ser organizadas de acordo com o tipo de urgências.

Após a consulta, as simples contribuições do utente e do médico serão vitais para o aperfeiçoamento da nossa aplicação que, através de métodos de machine learning, fará um diagnóstico cada vez mais eficiente.

Em suma, visto que os dados suportam que a maioria das visitas às urgências se tratam de casos facilmente diagnosticáveis, esta solução permitirá:

  • Melhor distribuir os utentes pelas unidades de saúde de uma dada localidade;

  • Capacidade de previsão dos hospitais, permitindo uma melhor preparação à receção dos pacientes;

  • Poupar o tempo de espera pela triagem, de triagem e de espera da consulta ao utente, diminuindo significativamente os tempos de espera totais;

  • Diminuir a ocupação das urgências, propícias à disseminação de doenças;

  • Alívio dos profissionais de saúde;

  • Contribuir para a digitalização na saúde;



Viabilidade financeira e estratégia

De modo a desenvolver este projeto, pretendemos aliar programação a plataformas de no code para a implementação da aplicação. Para a aquisição dos dados necessários ao correto funcionamento da aplicação, estabeleceremos uma conexão aos serviços informáticos dos hospitais. Contudo, caso não seja possível, outra hipótese seria a criação de uma plataforma exclusiva para que os hospitais pudessem atualizar as filas de espera e a disponibilidade dos médicos necessários.


A nossa proposta de valor, que muito beneficiará os utentes, será um serviço adotado pelas unidades de saúde, que poderão estar presentes na Ucheck. Desta forma, os nossos potenciais clientes serão os grupos privados e as entidades públicas de saúde, sabendo que quanto mais unidades abrangidas, melhor o serviço. No início, seria vantajoso arrancar com um projeto piloto numa cidade, como a cidade de Lisboa, onde há uma elevada oferta de serviço de urgências hospitalares. De seguida, avançaríamos de região em região, abrangendo cada vez mais hospitais e posteriormente, centros de saúde que também possuam serviço de urgências. Após uma presença forte em todo o país, poderia ser estudada a hipótese de instaurar a Ucheck noutros países de forma a melhorar também os seus serviços de urgências.