CONTROLE DE PROCESSOS EROSIVOS COM DRONE

Para contribuir com pesquisas que envolvem integração tecnológica, pretende-se neste estudo piloto experimental atestar a acurácia do produto final gerado pela fotogrametria de um drone.

  • 0 Raised
  • 0 Juries

Categories

  • Meio Ambiente

Description

Bem-vindo(a) ao Inova-san 2021! 

Abaixo seguem os elementos que consideramos essenciais para uma descrição clara e objetiva do seu projeto:


Qual o problema que estamos resolvendo?

 Análise de um local com processo erosivo em um talude. A erosão causada devido a intensidade da precipitação em alguns períodos do ano, que gera transtornos no dia dia  das pessoas como risco desabamento, soterramento de casas, interdição de trânsito em vias públicas.

Quem é impactado por esse problema?

Principalmente pessoas que moram próximas a encostas, desprovidas de contenção, com topografia bastante acidentada, locais de difícil acesso, Com taludes íngremes.

Pessoas que utilizam vias publicas com taludes em processo  de erosão e que acabam tendo o direito de ir e vir interrompido com interdições em caso de desmoronamento e interdição  da via publica.  

Qual a solução criada pela equipe para resolver esse problema?

As tecnologias para obtenção de dados topográficos estão em constante evolução. Tanto na manipulação dos equipamentos quanto na interpretação dos dados e geração de mapas ou plantas é necessário ter um sólido conhecimento sobre instrumentação, técnicas de medição, métodos de cálculo e estimativa de precisão (KAHMEN; FAIG, 1988).  Durante muitos anos o principal equipamento utilizado foi o teodolito, conjuntamente com o nível topográfico e a mira. Estes equipamentos exigiam pelo menos dois profissionais em campo, as anotações eram feitas em cadernetas e o trabalho lento, em função das condições do relevo, demandava muito tempo para que se conhecesse o terreno.

A Estação Total, instrumento eletrônico que faz leituras angulares e de distâncias, significou um avanço nas varreduras topográficas. Através dela é possível  coletar dados e armazená-los no próprio equipamento e posteriormente baixá-los para um computador e analisá-los. A utilização da Estação Total aportou maior precisão, rapidez na geração de dados e menor exposição dos profissionais aos possíveis riscos da atividade, impulsionando-os a buscarem capacitação tecnológica. Sistemas de medição a partir de sinais de satélites e o laser scanner são outros recursos que auxiliam nas atividades do topógrafo, mas implicam em investimento elevado, portanto nem sempre acessíveis. Recentemente o drone, tecnologia que vem se destacando pelas inúmeras aplicações, mostra-se um possível recurso para auxiliar nos levantamentos e medições topográficas.

Um dos principais produtos da topografia é o modelo digital do terreno (MDT), que tem a função de descrever o terreno através de suas curvas de nível. Eles foram desenvolvidos há cerca de 60 anos para auxiliar na automatização de projetos onde há necessidade de grande precisão do relevo. Com a popularização dos drones, a aerofotogrametria vem se popularizando cada vez mais. Sua grande vantagem é a capacidade de captar dados de alta resolução e baixo custo quando comparado com outros métodos.

Os drones são capazes de realizar voos pré-programados, além de possuírem uma câmera fotográfica de alta resolução, um receptor do sistema global de navegação por satélite (GNSS), incluindo Inertial measurement unit (IMU), que possibilita a determinação dos parâmetros de altitude de cada fotografia tirada durante o vôo (Rodrigues e Gallardo, 2018).

Analisando o modo de funcionamento dos recursos do drone é possível entender algumas mudanças que podem ocorrer caso essa tecnologia seja colocada em prática, como por exemplo:

1. Diminuição dos custos dos equipamentos: um drone possui um preço bem mais acessível que outros equipamentos, como uma estação total, principalmente comparando com a maneira que era feita a aerofotogrametria, sendo necessário que o responsável possuísse um avião, sensores de ponta e um alto capital de giro para lidar com os elevados custos fixos do processo.

2.    Redução de equipes em campo, visto que, mesmo sendo um equipamento altamente tecnológico levantamentos com estação total (método mais popular hoje em dia)  faz-se necessário no mínimo duas pessoas para operá-lo. Além disso, locais de difícil acesso impedem a realização do trabalho pelo alto risco à vida do operador.

3. Maior velocidade na captação de dados e resposta mais rápida ao problema levantado utilizando aplicativos disponíveis no mercado. Todo o mapeamento pode ser planejado com antecedência, reduzindo o fator de falha humana, que em um levantamento utilizando a estação total é bem maior (DronEng, 2016).

O que faz a sua ideia ser única?

A utilização de uma tecnologia nova para analise rápida e precisa de um problema ambiental. 

Quem é o time que irá executar essa solução?

José Artur Venancio

desenhista cadista experiência em desenhos de terraplanagem, desenho topográfico;

topógrafo experiência com Estação total, gps L1/L2, RTK

Antonio Lacerda Ventura

Edson De Sousa

Matheus Cardoso Barros

Copyright © 2021 All rights reserved. TAIKAI — Hackathon Platform.